segunda-feira, 28 de abril de 2008

Dúvidas sobre a máquina de cordas

Ivan comentou na minha postagem anterior:
"Não entendi como se giram as cordas. E não seria melhor colocar no lado com 4 pontos, os pontos em círculo (ou no caso de ter 4 um quadrado)? do jeito que está, no final da torção os cabos da ponta estarão mais tensionados que os do centro."

Sobre isso, ele está semi-correto. Várias máquinas de cordas tem os ganchos arrajandos em forma de triângulo (3 feixes) ou quadrado (4 feixes), e por teoria isso faria com que a tensão fosse mais equilibrada em todos os feixes, já que todos estariam à mesma distância do gancho principal (onde todas os feixes são ligados).

Vamos fazer alguns cálculos:
O espaço entre os ganhos da minha máquina é aproximadamente 3,5 cm, eu vou enrolar cordas com 2 metros no mínimo. Considerando que o gancho principal esteja perfeitamente alinhado com os ganchos individuais, nós podemos calcular qual será o tamanho de cada feixe. Os dois feixes internos estão há aproximadamente 1,7 cm do centro da máquina, e os dois feixes externos estão há aproximadamente 5,2 cm do centro.

Encarando um triângulo com vértices no centro da máquina com ganchos individuais, no gancho principal, e no gancho em questão; nós conseguiremos saber os comprimentos exatos de cada feixe. Considerando então o maior cateto como a distância entre as duas máquinas (2 metros) e as distâncias do centro até os ganchos como os catetos menores, a hipotenusa de cada gancho será o comprimento do respectivo feixe:
Feixes internos: H^2 = 200^2 + 1,7^2 => H = 200,0072 cm
Feixes externos: H^2 = 200^2 + 5,2^2 => H = 200,0675 cm

Ou seja, a diferença entre as cordas seria 0,0603 cm, ou aproximadamente seis décimos de milímetros. Uma diferença insignificante que pode ser desprezada.

Então se a torção é mesma em todas as cordas, por que o design com os ganhos em forma de círculo é mais utilizado? Porque na hora de torcer os feixes e formar a corda propriamente dita, quanto mais circular for a disposição dos feixes, mais uniformemente a corda será torcida.

No meu caso essa falta de uniformidade não chegaria a ser um problema, como estou fazendo cordas com um diâmetro muito pequeno (não mais de 2mm) esta uniformidade deixa de ser relevante em função da enorme praticidade que eu ganho na hora de esticar os feixes utilizando um design de ganchos linear. Ainda assim, a corda que fiz com a minha máquina, mesmo sem ter utilizado um separador de fios - que é outra peça que ainda não fiz e que produz uma corda ainda mais uniforme - ficou perfeitamente uniforme.

PS: Outra coisa importante a ser lembrada, a corda ainda será mergulhada em "cola material" que é um agente adesivo utilizado para que a corda fique o mais próximo possível de ser um cabo único.

PS2: Eu pretendo no futuro postar algumas fotos da máquina em funcionamento para faciliar o entendimento do funcionamento dela.

2 comentários:

Pablo disse...

Prezado Luiz, pesquisando sobre produção de fios vi o teu arquivo do blog sobre a máquina de cordas e achei super interessante einstrutivo e fiquei curioso sobre o separador de fios que você menciona para a produção de cordas mais uniformes, mas não é mostrado.
Outra coisa seria sobre como automatizar o giro dos ganchos para uma produção mais rápida.
Um abraço.
Pablo

Luiz disse...

Olá, este meu projeto está parada já faz quase 2 anos e provavelmente não será reiniciado tão cedo.

Sobre o separador, é apenas um peça em formato de Y ou cruz que separa os feixes de fios durante o enrolamento primário (ele fica na ponta onde todos os feixes se juntam). Quando você vai fazer o enrolamento secundário vai puxando ele conforme a necessidade para a ponta oposta, assim o enrolamento fica uniforme (conforme vai enrolando vai deslocando a posição dele).

Existem formas de automatizar o giro e outros projetos de máquinas de cordas. Este primeiro protótipo que fiz utilizei o projeto mais prático e simples que imaginei, mas nada impede de utilizar engrenagens para fazer uma coisa mais rápida.

Dá uma pesquisada por "rope machine" no google.